Você deve estar se perguntando por que falar sobre fracassos, se estamos vivendo a era das vitórias, o tempo de expressar as conquistas, através das mídias sociais.

Entretanto, falar sobre os fracassos acadêmicos nos faz refletir sobre onde estamos, ou melhor, em que degrau da escada acadêmica estamos, além de nos fazer entender sobre o funcionamento deste sistema.

Compreender como a comunidade acadêmica funciona nos traz um certo conforto (aquele quentinho no coração), pois reconhecemos que o fracasso faz parte da vida acadêmica de qualquer pesquisador. Viver academicamente é colecionar fracassos e frustrações, mas também é ter uma bela coleção de experiências 😁, e aí… vem a importância do fracasso: identificar em qual etapa do processo você não teve atenção suficiente.

  • Não ter o seu trabalho aceito em um periódico pode te levar a refletir que talvez você não tenha lido o periódico para perceber de que maneira a compreensão deste impactaria na sua escrita e organização do material.
  • Não ter o seu trabalho aceito em um programa de pós-graduação talvez te faça pensar que faltou enviar algum documento que comprove o seu cv.
  • Não ter o seu trabalho aceito para a obtenção de um financiamento talvez te faça refletir que não tenha contemplado as exigências ou a estrutura solicitada pelo programa em questão.

Uma dica é: olhe para o fracasso como um cientista, e busque entender como aquele sistema funciona e, principalmente, como esta comunidade acadêmica tem impacto na sua vida e na sociedade. E é neste ponto que eu te digo que:

nem sempre sua análise te conduzirá para uma falha cometida por você. Entendendo o sistema, você irá perceber que, na maioria das vezes, você não cometeu nenhuma falha, mas não terá o seu trabalho aprovado da mesma maneira. O sistema acadêmico tem suas engrenagens e nem sempre elas estarão a seu favor.

Por isso, neste post quero trazer dicas, não de como não ter fracassos na vida acadêmica, mas, sim, de como lidar com estes fracassos.

1. Cuide da sua saúde. E aqui inclua: beber água, se alimentar bem, fazer exercício físico, dormir bem, fazer pausas durante seu período de trabalho, etc.

2. Entenda que ter o trabalho recusado está relacionado com o seu trabalho e não com você, como pessoa. A vida acadêmica é apenas uma parte da sua vida.

3. Compreenda que a banca que avaliou o seu trabalho é composta por outros seres humanos que podem estar passando por um dia ruim.

4. Pense que geralmente ocorre uma disputa entre candidatos de alto nível e poucas vagas

5. Tenha com quem conversar! Converse com o seu orientador(a), seus colegas do grupo de pesquisa, os colegas das disciplinas, enfim, converse com outras pessoas, pois através de um feedback “amigo” podemos acessar novas informações sobre nós mesmos e sobre o processo.

6. Reflita sobre seus fracassos, tente pensar em estratégias para resolvê-los da próxima vez. Ajuda muito quando se tem um parecer bem escrito com informações e detalhes para sua análise, mas, se não for o seu caso, reflita por você mesmo.

7. Lembre-se que quanto mais experiências na vida acadêmica, mais rejeições terá. Você não é o problema, todos passam por isso, muitas vezes. 😉

E para finalizar, trago alguns cientistas que admiro muito e que abriram o seu coração ao falar sobre seus fracassos acadêmicos, os colocando como parte de suas trajetórias.

Débora Diniz ………………………………………………………. …..Rosana Pinheiro-Machado


Gostou do tema? Como você lida com os seus fracassos acadêmicos? Me conte nos comentários! E, para saber mais sobre outros temas acadêmicos, me siga no Instagram e aqui no blog, todo mês um post novo! 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s